Partido Verde de São Paulo

Verdes se reúnem em Estrasburgo para debater temas de interesse Global

Verdes-se-reunem-em-Estrasburgo-para-debater-temas-de-interesse-Global

O Grupo Verde Europeu/EFA estão reunidos de (20 a 24-11) em plenária, na cidade de Estrasburgo, debatendo temas de interesse do continente e olhando para as coisas que acontecem no planeta. É assim durante todo o ano, atividades em todas as partes do continente debatendo as questões cruciais, levando aos seus representantes no Parlamento uma tomada clara de posição. Abaixo, algum dos assuntos que serão debatidos nas plenárias:

A crise com o surto de Ebola e resposta da União Europeia

Os eurodeputados debateram o surto de Ebola e da resposta da União Eupopeia. Os Verdes têm criticado a resposta até agora como insuficientes e pedem todas as medidas necessárias para conter o surto na fonte. O surto de Ebola está fora de controle e o risco de contaminação não está descartada na Europa. Os verdes querem que, além da ajuda material já prometido pela Comissão Europeia para instalações médicas, é necessário que estados membros da UE envie pessoal qualificado. Além disso, os trabalhadores europeus de ajuda voluntária devem ter garantias que serão repatriados e cuidados em caso de problemas.

Política energética e climática na UE

O debate do Parlamento Europeu desta semana incidiu sobre política climática e energética da UE para 2030. Enquanto os Verdes saudou o reconhecimento renovado de dependência prejudicial da Europa sobre as importações de energia dos parceiros não confiáveis, eles enfatizaram o risco real de que a cúpula poderia desfazer a política climática e energética da UE, se os líderes da UE continuarem seguindo as fracas propostas estabelecidas pela Comissão Europeia. Adotar metas frágeis não vinculativas seria um retrocesso real para os progressos realizados no sentido de melhorar a eficiência energética e aumentar a quota de energia renovável na Europa e iria definir fundações ruins para a união energética da UE. A forma mais segura e certa para é priorizar a economia de energia e energias renováveis caseiras, o que dará um impulso à economia. Para este fim, o grupo verde acredita que os líderes da UE precisam acordar sobre as metas para economia de energia até 2030, entre elas as emissões de partes de energia e gases de efeito estufa renováveis.

Repressão da Hungria sobre a sociedade civil

Os eurodeputados debateram a situação na Hungria nesta terça-feira, à luz da repressão anti-democrática recente contra organizações da sociedade civil por parte das autoridades húngaras. Os Verdes expressaram preocupação com esta guinada perturbador contra o pluralismo e acreditam que a Comissão Europeia tem de voltar a ser mais pró-ativa na investigação da compatibilidade desse desenvolvimento com o Tratado da UE. A questão dos Estados-Membros se afasta de princípios e valores fundamentais da UE, nomeadamente a Hungria, neste sentido, os Verdes cobram uma atenção maior para os fatos jurídicos e de diálogo com a Hungria para encontrar soluções específicas .

Sobre as Comissões apresentadas pelo presidente do Parlamento

O jogo é longo. O novo Colégio da Comissão Europeia foi votada pelo Parlamento Europeu. O verdes votaram contra porque não estão convencidos de que o pacote global e a direção política apresentada pelo presidente Juncker seja suficiente para reestabelecer a confiança dos cidadãos na jovem democracia europeia. Os verdes querem uma Comissão forte que possa responder aos desafios-chave na Europa. Juncker tem prioridades erradas, acrescentam.

Orçamento da UE, as touradas e o lobby

Os eurodeputados votaram esta semana o orçamento da UE para 2015, com as preocupações em curso que deficiências em pagamentos do orçamento por parte dos governos da UE significa que programas econômicos e sociais fundamentais serão privadas de fundos.

Os eurodeputados apoiaram uma proposta Verde para suspender os fundos aos chamados "grupos de peritos de alto nível", que aconselham a Comissão, um passo importante na luta contra o papel de lobby na UE.

Além disso, os Verdes também estavam buscando evitar novos fundos da UE canalizado para as touradas e o setor relacionado. Infelizmente, a emenda foi rejeitada. No entanto, devido a um grande número de deputados do Parlamento Europeu terem apoiado a proposta, fica uma forte mensagem de que esta situação insustentável deve ter um fim.

Perseguição aos migrantes em ação coordenada da UE

A ação coordenada da UE por parte das forças policiais, o que resultou na prisão indiscriminada de refugiados inocentes, foi debatido esta semana pelos eurodeputados. Os Verdes condenaram veementemente a operação, que irá criar mais sofrimento para aqueles que fugiram de seus países de origem devido à perseguição, enquanto alimenta um perfil étnico e a discriminação. Está claro que aprisionar migrantes sem vistos não é a melhor forma de atingir os traficantes e criminosos. Em vez de perseguir refugiados e imigrantes como criminosos, devemos avançar para o desenvolvimento de meios mais legais e seguros de entrada para eles.


Desaparecimento de 43 alunos de ensino no México

Após o desaparecimento de 43 professores/alunos no México, os deputados votaram uma moção de quinta-feira que não conseguiu aplicar uma pressão real sobre o governo mexicano para garantir uma investigação completa. A impunidade é evidente no México e os Verdes acreditam que os planos de modernização do Acordo Global com a UE deve ser colocado em espera até que sejam feitos esforços reais para colocar um fim a isso. Tais crimes horrendos só irão continuar enquanto essa impunidade existir, especialmente nos casos em que agentes do Estado ou a sua conivência com o crime organizado está envolvida.

 

Fonte: Grupo Verde no Parlamento Europeu
Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo

voltar ao topo

Partido Verde do Estado de São Paulo © 2016

Top Desktop version